O Tear Manual define-se como uma máquina que transformam filamentos ou fios em tecidos.

No geral, esses tecidos resultam da reunião
de filamentos paralelos (urdidura) com transversais, relativamente ao comprimento do pano (trama).

Essa reunião a que se dá o nome de entrelaçamento resulta da passagem, ao longo da largura do tecido, dos filamentos que vão, ora por cima, ora por baixo dos filamentos da urdidura. O padrão do entrelaçamento da urdidura e da trama determina a configuração e padronagem do tecido acabado.

tear manual

Num tear simples há, pelo menos dois liçaróis, que são travessas que possuem pequenas alças metálicas por onde passam os fios da urdidura. Quando um liçarol é levantado, o outro é abaixado, permitindo uma passagem bem definida para os fios da trama.

Essa passagem da trama é feita através da laçadeira (ou navate), componente que desenrola o fio à medida que atravessa o tear lateralmente.

O tear manual horizontal (primitivo) surgiu na Europa, por volta do século XIII, espalhando-se por quase todo o mundo. Ainda hoje, diversos trabalhos são realizados nesses teares, com origem européia.

DSC07412
DSC07440
DSC07413
DSC06518
DSC00787
DSC00779
DSC00773
DSC07444_edited
DSC00780_edited
IMG_3544_ok
IMG_3536
DSC06634_edited
DSC07425_edited
DSC00781_edited
DSC03272_edited
DSC06514_edited
DSC01245_edited
IMG_0044_edited
DSC07429_edited
DSC06566_edited
IMG_0673_edited
IMG_1077
IMG_0220
IMG_0117
IMG_1136

Tapetes Artesanais em tear manual